Cinco formas para ter uma postura correta no seu computador

Isto é para si que está no seu computador, onde passa a maior parte do seu dia. Tem-se queixado do seu ombro e já lhe custa a manter a postura certa? A revista Time reuniu algumas dicas que o ajudarão a afastar alguns dos problemas que resultam de uma má posição ao computador. Ora vejamos.

1- Olhar duas vezes para o monitor

O topo do monitor tem que estar à altura da nossa linha de visão. Se o computador tiver o monitor incorporado, o melhor que tem a fazer é aumentar a altura. O ideal é que os olhos estejam dez graus acima do monitor, uma vez que a tendência será sempre adaptar a visão com o movimento da cabeça.
Como tal, se o computador estiver baixo demais é natural que isso lhe cause dores nas costas e no pescoço. Se estiver demasiado alto, causará a chamada síndrome dos olhos secos.

2- Má postura? O queixo que aguente.

Temos sempre um momento durante o dia que nos apercebemos que não estamos sentados da forma correta. Já sabemos que é  prejudicial: a pressão vai cedendo para cima do pescoço à medida que ele desce e se aproxima do computador, causando tensão no pescoço e na coluna.
O truque será fazer exercícios com o queixo. Simular um duplo queixo por exemplo, fará com que o pescoço e a coluna se alinhem.

3- Levante-se pela sua saúde

O corpo humano não deve estar muito tempo sentado, por isso devemos ir alternando: ora sentamos, ora levantamos. Segundo uma investigação este processo permitiu reverter aos trabalhadores 25% das lesões provocadas pelo tempo que passaram sentados, o que fez com que a sensação de bem-estar aumentasse, por oposição à fadiga e ao apetite – que foram diminuindo.

4- Mexa-se

Agora que sabe que se deve levantar, quando em pé, caminhe. Já há empresas que fornecem coffee-break no sítio mais longe do local de maneira a que se ande durante o dia de trabalho.

5- Conte os passos

Agora, conte os passos que dá ao longo do dia, seja nas pausas para ir à casa de banho, seja nas pausas para uma ida discreta ao Facebook. Sim, mesmo nessas deve dar pequenos passos, ou ande na hora de almoço.
Há várias aplicações para o telemóvel  que o vão ajudar, o chamado pedómetro. Um novo objetivo todos os dias melhora a sua saúde e a sua capacidade de trabalho.

O que é a terapia visual?

A terapia visual é um tratamento neurofisiológico para casos de disfunções visuais não patológicas, cujo objetivo é desenvolver, melhorar e intensificar as capacidades visuais e cognitivas.

São tratamentos personalizados em função do problema ou das necessidades do paciente e consistem na realização de exercícios visuais de forma controlada e programada.

Que tipo de problemas se podem tratar com Terapia Visual?

Normalmente todas as alterações não patológicas da visão como:

– Ambliopia ou olho preguiçoso.
– Problemas de visão binocular como estrabismos e supressões
– Miopias progressivas.
– Problemas de aprendizagem e perceção visual
– Fatiga visual e astenopias

A que idade se pode começar a terapia visual?

Depende da criança. Normalmente a partir do momento em que a criança colabora, a partir dos 2 ou 3 anos.

Como iniciar a Terapia Visual?

Antes de iniciar a terapia visual é importante fazer um exame visual completo por um profissional habilitado, onde se define um diagnóstico. Posteriormente define-see um plano de trabalho e uma sequência de exercícios programados para atingir objetivos cada vez mais complicados.

E necessária a presença dos pais em todas as sessões de terapia visual?

Não em todas. Algumas sessões destinam-se a que a criança trabalhe com o terapeuta e nessas consultas os pais podem ser uma distração. Mas é necessário que os pais colaborem em sessões que são preparadas para explicar os procedimentos e exercícios que, à posteriori, se vão realizar em casa.

Como escolher as suas lentes de sol graduadas?

Tenha em conta que as lentes solares estão preparadas para a exposição aos raios UV. O critério de escolha das lentes deve ser de acordo com a utilização: cidade, campo, mar ou montanha. Informe-se devidamente na sua ótica de confiança. Alguns aspectos a ter em atenção:

  • A coloração pode ser uniforme ou degrade (mais escura em cima e vai ficando mais clara até à zona inferior da lente)
  • Intensidades de coloração : Pode escolher a intensidade da coloração.
  • Em muitos casos acontece que os seus óculos de sol são curvos ou demasiado curvos, assim o ideal é que as suas lentes sejam fabricadas com a base de curvatura adequada. Aconselhar-se com o seu ótico de confiança é a escolha acertada.
  • Em vários casos acontece que os seus óculos de sol são de dimensões grandes, nesses casos o ideal é que as lentes sejam fabricadas com o diâmetro adequado. Aconselhar-se com o seu ótico de confiança é o acertado.
  • Existem lentes com colorações / filtros adequados a determinadas atividades específicas tanto em interiores como exteriores. Para a prática de golf, ciclismo, caça, etc…. Qualquer ótica pode e deve apresentar estas soluções personalizadas.
  • Existem lentes com colorações e filtros adequados para prevenir e / ou aumentar a acuidade visual para determinadas doenças oculares especialmente ao nível da retina. Se for o seu caso informe-se na sua ótica de confiança para uma escolha adequada.
  • Lentes fotocromáticas. Bastante utilizadas e oferecem um grande conforto ao utilizador face à luminosidade. São lentes que reagem à intensidade luminosa ou à exposição ao raios uv, tornando-se mais ou menos escuras em função dessa mesma exposição. Fabricadas com a incorporação de moléculas foto-sensíveis.
    As lentes fotocromáticas podem escurecer para castanho, cinzento ou verde.
  • Lentes polarizadas. Permitem filtrar uma grande quantidade de luz reflectida por superfícies horizontais, como no mar, no asfalto, ou na neve. A visão é significativamente mais confortável ao diminuir muito o brilho e os reflexos.

 

Qual o material indicado para as minhas lentes?

Para fazer uma escolha adequada às suas necessidades, é importante aconselhar-se com a sua ótica de confiança.

A cada material usado no fabrico de lentes corresponde um índice de refração.

 

Lentes de vidro / minerais

  • Por norma quanto maior for o índice de refração menor será a espessura das lentes. (Não generalizando).
  • Alta resistência aos riscos.
  • É o material mais antigo usado para fabricar lentes. Caiu em desuso após o aparecimento das lentes orgânicas / acrílicas.
  • Peso elevado.
  • Muito pouca resistência à quebra e ao impacto tornando-se perigoso para os seus olhos.
  • Por regra apresentam um excelente qualidade ótica.
  • Recomendado para graduações extremamente elevadas por forma a diminuir a espessura das lentes.
  • Dentro das lentes minerais existem várias matérias desde aquelas com índice de refração de 1,52 até 1,9, passando por 1,6, 1,7, 1,8.

 

Lentes orgânicas / acrílicas

  • Por norma quanto maior for o índice de refração menor será a espessura das lentes. (Não generalizando).
  • Fabricadas à base de polímeros orgânicos.
  • São muito mais leves comparativamente às lentes minerais.
  • São muito resistentes à quebra.
  • São menos resistentes aos riscos relativamente às lentes minerais, mesmo que lhes seja aplicado um bom tratamento anti-risco.

 

Existem diversos materiais de lentes orgânicas, desde o índice de refração 1,49 até 1,76:

  • 1,49 – Ideal para graduações baixas e para armações fechadas (com aro todo à volta da lente). Fraca resistência à quebra e ao impacto.
  • 1,523 – Ideal para graduações baixas e para armações fechadas, já um pouco mais finas e com mais resistência ao impacto e à quebra.
  • 1,56 – Ideal para graduações baixas e para armações fechadas, já um pouco mais finas e com mais resistência ao impacto e à quebra.
  • 1,59 Policarbonato – Muito resistente ao impacto e extremamente leve. Menor qualidade ótica, resultante das tensões provocadas pelo aro na lente. Ideias para armações sem aro ou armações com aro apenas em cima. Ideais para graduações médias e baixas. Ideal para óculos de desporto, crianças e armações sem aro.
  • 1,67 – Ideal para graduações médias e médias altas. Ideias para armações sem aro ou armações com aro apenas em cima. Resistente à quebra e ao impacto.
  • 1,7 – Aconselhadas para graduações altas. Não deve ser usado em armações sem aro ou armações com aro apenas em cima.
  • 1,74 – Aconselhadas para graduações muito altas. Não deve ser usado em armações sem aro ou com aro apenas em cima.

O que é o tratamento das lentes?

O tratamento de lentes é feito para dar às lentes um acabamento que melhora a sua performance dependendo do objetivo pretendido.

Tratamento anti-risco

Só para lentes orgânicas / acrílicas. Trata-se de um endurecimento aplicado ao material da lente à base de resinas. Embora proteja muito mais as lentes quanto aos riscos, isto não significa que não se risquem de todo.

Tratamento anti-reflexo

Qualquer luz que incida numa lente, uma parte dessa mesma luz atravessa a lente, enquanto que a outra parte não atravessa e naturalmente é refletida. Este tratamento aumenta para cerca 99,8% a quantidade de luz que atravessa a lente, tornando-se portanto evidente que ao vermos através de umas lentes com tratamento anti-reflexo “captamos” toda a informação visual possível.
Diminui as imagens “parasitas” refletidas nas lentes oferecendo uma visão mais nítida.
Ao serem lentes mais transparentes existe uma vantagem estética muito importante, uma vez que os outros ao olharem para nós, não se vêm refletidos nas suas lentes como se de um espelho se tratasse. Para além de se apresentar com uma imagem mais límpida e natural livre de brilhos e reflexos.
Para a produção de tratamentos anti-reflexo são aplicadas nas lentes (tanto na face interna como na face externa ) dentro de câmara de vácuo, várias camadas de diferentes metais.
Nas lentes de sol graduadas é aconselhável a ausência de tratamento anti-reflexo na face externa da lente, uma vez que o anti-reflexo aumenta a quantidade de luz absorvida pela lente, quando neste caso o objetivo é precisamente o contrário.

Tratamentos anti-reflexo de última geração

Os primeiros anti-reflexos atraíam muito pó e sujidade. As lentes apresentavam-se sempre manchadas e a gordura aderia facilmente à superfície das lentes.
Os tratamentos de última geração contêm propriedades anti-estáticas e hidrofóbicas permitindo diminuir (não eliminar) os inconvenientes dos tratamentos mais antigos. Além de que permite uma limpeza mais fácil e eficiente.

Tratamentos para utilização contínua de ecrãs e monitores

Os computadores, ecrãs LCD e LED, telemóveis, tablets e outros dispositivos emitem luz azul. O excesso de luz azul pode causar efeitos nocivos como fadiga visual, no caso de quem sofre de cataratas distrofia corneal, degeneração macular e retinose pigmentária.
Este tipo de tratamentos neutralizam a luz azul emitida por esse tipo de dispositivos, absorvendo os raios UV-B e UV-A e todo o espectro azul, permitindo a prevenção de doenças dos olhos e uma visão mais confortável diminuindo a fadiga ocular.

Cuidados a ter com a utilização de Lentes de Contacto

Eis alguns aspectos a ter relativamente ao cuidado das lentes de contacto.

 

Cumpra o programa de uso recomendado.

Não tente alargar este período, pensando que as suas lentes de contacto mensais podem durar cinco ou seis semanas. Não corra o risco. As lentes de contacto são feitas com materiais diferentes para se adequarem a objetivos diferentes e são aprovadas pela FDA dos EUA para um uso em particular.

Lentes de contacto devem ser manipuladas com cuidado

As lentes de contacto moles descartáveis podem rasgar. Seja cuidadoso. Se uma se rasgar, deite-a fora. Além disso, mantenha as unhas afastadas das lentes. Além de afiadas, as unhas são um foco de bactérias.

 

Nunca partilhe lentes de contacto

Com a partilha de lentes de contacto transmitem-se bactérias de uma pessoa para outra, não se esqueça que as lentes de contacto são adaptadas e receitadas para se adequarem à sua visão e aos seus olhos.

 

Solução de manutenção para a limpeza das suas lentes de contacto

Nunca limpe as suas lentes de contacto com água.  A água pode transportar agentes patogénicos e bactérias que causam infecções. Nunca lamba as suas lentes de contacto. A sua boca possui uma quantidade diversa de bactérias. Embora muitas delas sejam saudáveis para o seu sistema digestivo, não são benéficas para os seus olhos.

Esfregue as lentes de contacto com as pontas dos dedos utilizando uma solução nova durante 5 a 20 segundos. Enxague bem com uma nova solução outra vez. Investigadores descobriram que “esfregar e enxaguar” continua a ser a melhor forma de manter as lentes de contacto sem micro-organismos.

 

Mantenha o estojo das suas lentes de contacto limpo

Enxague os estojos depois de cada utilização e guarde-os abertos e virados ao contrário num local limpo e seco. Recomenda-se a substituição do estojo das lentes de contacto com intervalos de três meses pelo menos.

 

Não durma com lentes de contacto que não sejam de uso prolongado

As lentes de contacto de uso prolongado são concebidas com uma tecnologia especial para permitir a passagem de mais oxigénio através da lente para a córnea. Normalmente, quando está acordado e os seus olhos estão abertos, o oxigénio do ar é transportado pelas lágrimas para a córnea através das lentes de contacto.

Quando está a dormir, as lentes de contacto normais podem impedir a passagem de oxigénio em quantidade suficiente para os seus olhos. Isto pode conduzir a infecções, úlceras e desenvolvimento de vasos sanguíneos anormais na córnea.

 

Leia e siga as instruções

Preste atenção às instruções do seu oftalmologista, ao folheto que acompanha as lentes de contacto e às instruções relativas à solução de manutenção para lentes de contacto e ao estojo. Todas elas fazem parte de um sistema cuidadosamente pensado, concebido para o ajudar a cuidar das suas lentes de contacto e dos produtos para cuidar de lentes de contacto específicos de uma forma que ajude a proteger os seus olhos e a sua saúde.